Servidores da atenção primária de Fortaleza farão nova assembleia para deliberar continuidade do estado de greve e paralisação das atividades
Paralisação imediata se dará caso a prefeitura retome as 40 horas assistenciais sem qualquer negociação com as entidades

Os servidores municipais de nível superior – médicos, enfermeiros e odontólogos – da atenção primária de Fortaleza realizaram, na última quinta-feira (23), de forma virtual, uma assembleia unificada para informar sobre como foi a reunião com o novo secretário da Saúde de Fortaleza, Dr. João Borges, bem como decidir as próximas estratégias pela redução da jornada de trabalho. Uma nova assembleia foi agendada para o dia 14 de março, cujo objetivo é deliberar pela continuidade do estado de greve e paralisação das atividades.

Leia mais: Sindicato convoca médicos servidores da atenção primária de Fortaleza para tratar jornada de trabalho em assembleia

Jornada de trabalho: durante assembleia, servidores da atenção primária de Fortaleza deliberam novo ato para o dia 23 de fevereiro

Ainda no início da assembleia, os representantes dos sindicatos informaram aos servidores que houve determinação de adiamento dos efeitos da portaria que busca retomar as 40 horas assistenciais para o dia 02 de abril. Também destacaram a importância de manter a mobilização como forma de demonstração coletiva de insatisfação das categorias quanto à intransigência do governo Sarto em retirar essa conquista que já dura mais de 10 anos.

Após os questionamentos, os servidores votaram pela realização de uma nova assembleia unificada para o dia 14 de março, de forma presencial, em local a definir. Na oportunidade, será deliberada a continuidade da manutenção do estado de greve e imediato início da paralisação dos serviços por tempo indeterminado caso ocorra de forma unilateral e intempestiva, por parte do governo, a determinação para o retorno das 40 horas assistenciais sem qualquer negociação com as entidades representativas dos servidores.

Também ficou definido a construção de ofício conjunto entre os três sindicatos (Sindicato dos Médicos do Ceará, Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Ceará e Sindicato dos Odontologistas do Ceará) dirigidos ao Ministério Público.

O Sindicato dos Médicos do Ceará reitera seu compromisso com a categoria e  reitera a importância da participação dos médicos para intensificar as mobilizações.

Fonte: Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Assine nossa newsletter

Fique atualizado sobre todas as notícias e oportunidades!

Fale Conosco