Atenção primária: em assembleia, servidores rejeitam proposta de abono de faltas e decidem pressionar gestão pela regularização da jornada
A assembleia ocorreu de forma unificada e virtual neste sábado. Profissionais deliberaram não aguardar resposta do prefeito para dezembro

Os servidores municipais de Fortaleza da atenção primária à saúde, de nível superior, realizaram, neste sábado (06), uma assembleia unificada para deliberar acerca da jornada de 32 horas e 16 horas, como também em relação a proposta de abono de faltas em decorrência das paralisações. Por unanimidade, os servidores rejeitaram novamente a proposta de compensação de faltas apresentada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e deliberaram pressionar a gestão municipal para regularizar a jornada de trabalho antes de dezembro.

A assembleia ocorreu de forma virtual, além do Sindicato dos Médicos do Ceará, participaram os representantes do Sindicato dos Odontologistas do Ceará (Sindiodonto) e do Sindicato dos Enfermeiros do Ceará (Senece), e cerca de 80 servidores das três categorias. Durante assembleia, os representantes das entidades repassaram as informações da reunião que ocorreu, na última sexta-feira (05), na mesa de negociação do SUS, na SMS, e os profissionais reafirmaram que não aceitam a proposta da prefeitura, onde a cada duas folgas seja compensado um dia de paralisação, e para quem não possui folgas, seria elaborado um cronograma de compensação onde três folgas seriam equivalentes a um dia de paralisação.

Também foi deliberado não esperar até dezembro, mês em que o prefeito de Fortaleza, José Sarto, informou que daria um posicionamento em relação a regularização da jornada de 32 horas e 16 horas para os servidores do nível superior. Os profissionais ressaltaram tratar-se de mais uma manobra política para quando chegar dezembro, o prefeito sinalizar pelo retorno das 40 horas.

Ainda durante a assembleia, os servidores alegaram que a gestão municipal vem protelando decisões importantes, e ressaltaram a necessidade da união da base de cada categoria para continuar pressionando pela efetividade da jornada de 32 horas e 16 horas. Também foi pleiteado a possibilidade de abertura da plataforma para ser colocado cursos voluntariamente, onde a grande maioria aceitou a reabertura.

De acordo com as categorias, as movimentações e visitas aos postos de saúde serão intensificadas, com o objetivo de conscientizar os profissionais sobre o pleito.

Reunião

Os representantes sindicais informaram que no dia 24 de agosto haverá uma reunião com a secretária da SMS, Ana Estela, e os servidores concordaram em levar a contraproposta da compensação de faltas, para que ocorra a cada dia de folga ser compensado um dia de paralisação, além de decidir uma forma para contemplar quem possui banco de horas.

Um ofício será encaminhado para SMS informando sobre a rejeição da proposta do abono de faltas apresentada.

Fonte: Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Assine nossa newsletter

Fique atualizado sobre todas as notícias e oportunidades!

Fale Conosco