Sindicato dos Médicos do Ceará solicita que Cremec realize fiscalização nos Frotinhas e Gonzaguinhas
Entre os motivos, o descumprimento do contrato pela COAPH e as reiteradas escalas de médicos desfalcadas

Na última quinta-feira (10), o Sindicato dos Médicos do Ceará encaminhou ofício ao Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) solicitando fiscalização nos três hospitais Frotinhas e nos três Gonzaguinhas de Fortaleza para que seja averiguada a grave situação de equipes desfalcadas após a Cooperativa de Trabalho de Atendimento Pré e Hospitalar (COAPH) vencer contrato da Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza (SMS), com dispensa emergencial de licitação. A entidade pede, ainda, que o Conselho acesse os livros de ocorrência de modo a comprovar o descumprimento do contrato pela cooperativa.

O Sindicato ressalta que tomou conhecimento de que muitos profissionais da saúde estão sem interesse em ocupar as escalas, por motivo dos valores aviltantes que a COAPH está pagando pelos plantões. A entidade reforçou que a situação está cada vez mais grave, tendo em vista que a força de trabalho está sendo dispersa.

“A COAPH não está conseguindo dar vazão à demanda existente nos citados hospitais devido às escalas desfalcadas pelos motivos já informados, e está realizando o serviço pela qual foi contratada de forma incompleta, o que acarretada graves prejuízos à população de Fortaleza”, afirma o presidente do Sindicato dos Médicos, Dr. Leonardo Alcântara. O presidente frisa também que não está havendo prescrição nas enfermarias, que a situação das escalas incompletas está ocorrendo rotineiramente e apenas o cumprimento parcial do período de horas total das escalas.

Fiscalização                                                                                                   

No ofício, o Sindicato cita que os profissionais chamados pela COAPH para assumir as escalas vagas, estão chegando bem depois do início do plantão, pois a cooperativa não está conseguindo dar vazão em tempo hábil para suprir as lacunas.

Todas as denúncias e informações repassadas pelos profissionais ao Sindicato podem ser averiguadas imediatamente através dos relatórios de plantões dos estabelecimentos. Ao Cremec, a entidade solicita que uma fiscalização seja realizada urgentemente nos estabelecimentos de saúde, bem como seja averiguado tudo o que foi informado ao consultar os livros de ocorrências, registros e similares para comprovação.

O Sindicato dos Médicos do Ceará reitera seu compromisso com a categoria e afirma que aguarda medidas enérgicas que o Cremec entenda cabíveis, de forma que a situação seja sanada e a população de Fortaleza e os médicos não continuem sendo ainda mais prejudicados.

Fonte: Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Assine nossa newsletter

Fique atualizado sobre todas as notícias e oportunidades!

Fale Conosco