Sindicato em

Notícias

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará comemora mais uma conquista em prol da categoria médica, a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos médicos do município de Maracanaú. A vitória veio após anos de um intenso trabalho, com ações promovidas pelos profissionais e pela entidade no sentido de instituir um plano que atendesse as reais necessidades da categoria. O Sindicato continuará acompanhando a questão para que todos os benefícios sejam garantidos. 

Notícias

Mesmo ciente da grave carência de leitos pediátricos em Fortaleza, a direção do Hospital Gonzaguinha da Barra do Ceará comunicou aos médicos pediatras, nesta terça-feira (6), a decisão de que fechará o setor de emergência pediátrica. A situação se agrava ainda mais quando os médicos que trabalham na unidade, alguns há mais de 20 anos, foram informados sobre o caso, por meio de mensagem via WhatsApp, sem aviso prévio, de que teriam apenas as opções de serem alocados na emergência da neonatologia, no próprio hospital, ou direcionados para outras unidades.  

Notícias

Mais um caso claro de abuso de poder e retaliação relacionada a posicionamento político contra a categoria médica foi denunciado ao Sindicato dos Médicos do Ceará, nesta segunda-feira (05). O médico cirurgião geral, Dr. Fernando Luz, foi dispensado do Hospital Regional do Cariri onde atuava desde 2011, após ser alvo de acusações comprovadamente inverídicas pela própria Sindicância do Hospital. Este é o quarto afastamento de médicos de unidades da rede pública de saúde registrado nas últimas duas semanas no Ceará, sem justificativa do Poder Público. Diante disso, a entidade irá apurar os fatos e buscará as punições cabíveis, incluindo a solicitação de afastamento dos gestores responsáveis.

Leia mais: Sindicato em Ação: campanha “Contra o abuso de poder e perseguição. A favor da saúde” já está nas principais ruas e avenidas de Fortaleza

Sindicato dos Médicos do Ceará emite Nota de Repúdio à retaliação sofrida por médica ex-presidente da entidade

Segundo documentos recebidos pela entidade, a diretoria do hospital emitiu comunicação de demissão por justa causa, mesmo a Sindicância tendo concluído que não houve qualquer irregularidade quanto ao comprometimento do profissional em sua atuação nos plantões, “Quero afirmar, com toda clareza, que estou sendo desligado do serviço por uma decisão meramente política. (...) E ainda querem alegar justa causa. Isso é politicagem das mais grosseiras. Vou brigar na justiça, não para retornar ao serviço, mas para deixar bem claro a injustiça que está sendo cometida. (...) O resultado dessa luta não servirá pra mim, mas talvez sirva para os que continuam”, declara em nota Dr. Fernando Luz.

O presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes, afirma que todos os casos caracterizados como retaliação política e abuso de poder contra os profissionais médicos serão investigados pela entidade. “Este já é o quarto caso em cerca de 15 dias de médicos que são afastados de suas funções sem justificativa, ficando claro que estas atitudes são meramente relacionadas a posicionamentos políticos. Não vamos de maneira alguma aceitar esse tipo de enfrentamento do poder público”, relata.


“Contra o abuso de poder e perseguição. A favor da saúde”
A campanha “Contra o abuso de poder e perseguição. A favor da saúde” já está nas principais ruas e avenidas de Fortaleza. Promovida pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, a iniciativa tem como objetivo manifestar o completo repudio da entidade quanto aos últimos acontecimentos de retaliação a profissionais médicos que denunciaram o descaso do poder público na prestação de uma saúde digna para a população. O Sindicato continuará firme na busca pela garantia de direitos da categoria médica e da sociedade, dentre eles a liberdade de expressão, especialmente, a respeito da precariedade da saúde devido à falta de compromisso da gestão pública.


Conheça os outros casos
Dra. Mayra Pinheiro
Médica neonatologista e ex-presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, foi afastada das suas atividades no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), as quais exercia há mais de 20 anos, após denunciar pacientes alocados nos corredores da unidade, relatos estes realizados há cerca de cinco anos pela profissional, responsável por criar o Corredômetro, levantamento para divulgar e compartilhar com a sociedade o número de pessoas que aguardam por leito digno nos corredores dos hospitais públicos do Estado, demonstrando o descaso das autoridades com a saúde.

Dr. Rodrigo Ferreira Gomes
Foi despedido, sem aviso prévio, do Hospital Maternidade João Ferreira Gomes, no município de Itapajé, local onde atuava há seis anos como clínico-geral e médico de saúde da família. Segundo o médico, ele chegou à unidade para realizar seu plantão e foi surpreendido com outro profissional no seu lugar, e a diretoria administrativa não soube justificar o motivo pelo qual ele estaria sendo substituído. Em respeito aos pacientes que o aguardavam para serem atendidos, Dr. Rodrigo providenciou um local e realizou seu trabalho na calçada.

Dr. Fábio Vieira Garcia Neto
O médico também foi despedido, sem aviso prévio, do Hospital Maternidade João Ferreira Gomes, no município de Itapajé. Ao chegar para trabalhar, outro profissional já estava atuando em seu lugar. A diretoria da unidade também não lhe informou os motivos para o afastamento.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Previous Next
Notícias

Após o Sindicato dos Médicos do Ceará, por meio da sua Assessoria Jurídica, oficiar a operadora de saúde Hapvida solicitando esclarecimentos acerca de denúncias recebidas com relação a casos de desrespeito à categoria médica, em especial aos anestesistas, ocorreu, na última terça-feira (30), reunião entre o presidente da entidade, Dr. Edmar Fernandes; o diretor do Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará - CREMEC, Dr. Marcelo Esmeraldo; o superintendente Nacional da Rede Hospitalar da Hapvida, Dr. Anderson Nascimento; a presidente da Sociedade de Anestesiologia do Estado do Ceará – Saec, Dra. Shirley Paiva; e médicos anestesistas. 

Previous Next
Notícias

A campanha “Contra o abuso de poder e perseguição. A favor da saúde” já está nas principais ruas e avenidas de Fortaleza. Promovida pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, a iniciativa tem como objetivo manifestar o completo repudio da entidade quanto aos últimos acontecimentos de retaliação a profissionais médicos que denunciaram o descaso do poder público na prestação de uma saúde digna para a população.

Leia mais: Sindicato dos Médicos lança campanha “Contra abuso de poder e perseguição. A favor da saúde”

Sindicato dos Médicos do Ceará emite Nota de Repúdio à retaliação sofrida por médica ex-presidente da entidade

O Sindicato continuará firme na busca pela garantia de direitos da categoria médica e da sociedade, dentre eles a liberdade de expressão, especialmente, a respeito da precariedade da saúde devido à falta de compromisso da gestão pública.

Os outdoors estão dispostos na Av. Barão de Studart - próximo ao Palácio da Abolição; no cruzamento das ruas Leonardo Mota e Vicente Linhares; na Av. Washington Soares - em frente ao antigo Siará Hall; na Av. Washington Soares - próximo à Cavalaria da Polícia Militar; e na Av. Sebastião de Abreu - em frente à loja Leroy Merlin. A campanha estará sendo veiculada também na rádio Tribuna Band News FM 101,7 e em posts nas redes socias.


Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

 

Notícias

Como ação do Novembro Azul, campanha relevante de conscientização sobre a importância dos cuidados com a saúde dos homens, em especial, a respeito do câncer de próstata, o Sindicato dos Médicos do Ceará realizará, no dia 11 de novembro (domingo), a partir das 7h, com saída no Parque do Cocó, o Passeio Ciclístico Novembro Azul. A iniciativa será promovida por meio da parceria da entidade com a Nacional Life, Icatu Seguros, Rodobens, SulAmérica e Associação Peter Pan. 

Notícias

O total de 13 prefeituras cearenses encerram o mês de outubro de 2018 em débito com os profissionais médicos. O levantamento, realizado pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, por meio da Campanha Devedômetro, divulgado desde janeiro de 2017 as gestões municipais em atraso com as remunerações médicas. Esse número já chegou a 31 gestões inadimplentes. Mas, por meio da firme atuação do Sindicato, através de negociações administrativas e/ou medidas judiciais cabíveis, muitos municípios já sanaram seus débitos. Figuram no Devedômetro do mês de outubro as Prefeituras de: Acarape, Aracati, Baturité, Catunda, Chaval, Cruz, Icó, Limoeiro do Norte, Marco, Mulungu, Pacajus, Quixadá e Ubajara. 

Leia mais: Devedômetro: 13 prefeituras cearenses encerram setembro em débito com médicos

Devedômetro: 13 prefeituras cearenses encerram agosto em débito com médicos

Saíram do Devedômetro
De janeiro de 2017 a outubro deste ano, 21 municípios que tinham débitos com médicos cumpriram seus compromissos e saíram do Devedômetro. São eles: Aiuaba, Acopiara, Aracoiaba, Arneiroz, Beberibe, Canindé, Caridade, Carnaubal, Fortaleza, Guaraciaba do Norte, Horizonte, Jaguaruana, Juazeiro do Norte, Madalena, Maranguape, Meruoca, Missão Velha, Pacoti, Potengi, Saboeiro e São Benedito.

Sobre o Devedômetro
A campanha funciona assim: o Sindicato é acionado por médicos cujas remunerações estão em atraso; após checada a denúncia, a entidade tenta resolver o problema de forma administrativa, através de sua Assessoria Jurídica; esgotadas as negociações no âmbito administrativo, são tomadas as medidas judiciais cabíveis para assegurar o respeito ao trabalho médico e feita a divulgação dos “maus pagadores e devedores” através das redes sociais oficiais e portal do Sindicato dos Médicos. Tal divulgação, sempre no primeiro dia útil de cada mês, refere-se aos débitos do mês anterior.

Como acionar o Sindicato
Os médicos cujas remunerações, por parte de órgãos públicos, estejam em atraso ou sofrendo reduções, devem comunicar tais fatos, imediatamente, ao Sindicato dos Médicos através dos seguintes canais: email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; e Canal do Médico, aplicativo para smartphones, disponível tanto para IOS como para Android, respectivamente, na Apple Store e no Google Play.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

 

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará lança, nesta quinta-feira (01), a campanha “Contra abuso de poder e perseguição. A favor da saúde”, tendo em vista os últimos acontecimentos de retaliação sofrida por profissionais médicos ao denunciarem o descaso do poder público na prestação de serviços de saúde.

Leia mais: Sindicato Lança Campanha "Médico Satisfeito: Só O Prefeito" E Convoca Categoria Para Assembleia Que Visa Decidir Sobre Paralisação

A campanha contempla, dentre outras ações: a distribuição de outdoors nas principais ruas e avenidas de Fortaleza (Av. Barão de Studart - próximo ao Palácio da Abolição; cruzamento das ruas Leonardo Mota e Vicente Linhares; Av. Washington Soares - em frente ao antigo Siará Hall; Av. Washington Soares - próximo à Cavalaria da Polícia Militar; e Av. Sebastião de Abreu - em frente à loja Leroy Merlin); veiculação de spot na programação da rádio Tribuna Band News FM 101,7; e posts em redes sociais.

Das mídias

Os outdoors apresentam a seguinte mensagem:
“Se fosse governador, quem você tiraria dos corredores do HGF?
Os pacientes? Ou a médica que fez a denúncia?
Contra abuso de poder e perseguição. A favor da saúde”.

Já o spot traz o recado abaixo: 

“Você sabia que todos os dias dezenas de pacientes são internados nos corredores do HGF em condições desumanas?
Você sabia que uma médica que trabalhava lá há mais de 20 anos, acabou de ser afastada por denunciar essa situação?
Você sabia que o Governador Camilo Santana não quer que você saiba deste fato e por isso tenta calar os profissionais?
Uma campanha do Sindicato dos Médicos contra abuso de poder e perseguição. E a favor da saúde”.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

Nesta quarta-feira (31), 247 pacientes estão nos corredores dos quatro maiores hospitais públicos de Fortaleza. Apenas no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), são 122 pessoas que aguardam por um leito digno para ter acesso ao seu direito à saúde. Este número é do Corredômetro, levantamento criado pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, em parceria com a Associação Médica Cearense (AMC), no dia 21 de abril de 2015, para divulgar e compartilhar com a sociedade o descaso das autoridades com a saúde pública, o que traz sofrimento para pacientes e profissionais da área.

Leia mais: Corredômetro: mais de 270 pacientes estão nos corredores de quatro hospitais de Fortaleza

Corredômetro: cerca de 300 pacientes estão nos corredores de apenas cinco hospitais de Fortaleza

Desde dezembro de 2016, o Corredômetro – antes publicado diariamente e, depois, nos dias úteis – passou a ser divulgado somente no último dia útil de cada mês, como um recorte da realidade mensal da saúde pública. Para tanto, uma ronda é feita, 'in loco', em unidades como o Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS) e Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM).

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

Atento a toda e qualquer forma de desrespeito à categoria médica e à prestação digna de serviços de saúde para a população, o Sindicato dos Médicos do Ceará foi informado, na última segunda-feira (29), que o Projeto de Consulta de Retorno, implantado pela operadora de saúde Hapvida foi suspenso. A resposta ocorre após a entidade oficiar e realizar reunião junto à empresa sobre as graves ilegalidades que envolvem o serviço.

Leia mais: Sindicato dos Médicos do Ceará apoia reivindicações contra operadora de saúde realizadas por entidade pernambucana

Segundo ofício encaminhado ao Sindicato pela operadora de saúde, “diante das dúvidas que a ferramenta gerou a este Sindicato, bem como a fim de evitar qualquer espécie de desgaste, a Hapvida suspendeu temporariamente a sua utilização, até que seja realizada uma nova reunião com o Sindicato dos Médicos do Ceará”.

A ferramenta citada tem como proposta, conforme denúncias recebidas pela entidade, prestar consultas médicas online. Serviço este proibido pelo Código de Ética Médica, devido, em especial, aos riscos que os pacientes enfrentam em decorrência de não serem consultados por um médico presencialmente.

O presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes, destaca que a entidade, cujo compromisso é agir sempre em defesa da categoria médica e da população, está cumprindo o seu papel ao não aceitar um serviço que não preza pela segurança do paciente e do médico. “Recebemos a denúncia e prontamente acionamos a Hapvida. A consulta precisa ser realizada presencialmente pelo profissional. É inaceitável esse tipo de serviço”, enfatiza.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

logo---sindmed-2018---branco.png

Receba nossos Boletins

Não enviamos Spams!