Sindicato em

Notícias

Previous Next
Notícias

Médicos da Atenção Básica de Fortaleza paralisam atividades nos postos de saúde e realizam novo ato de protesto

Médicos e profissionais da Atenção Básica de Fortaleza paralisaram as atividades, nesta terça-feira (18), e reuniram-se em frente à Câmara Municipal, em um ato de mobilização às reivindicações da categoria em virtude da inércia da Prefeitura diante do Ofício n° 083/2018, enviado em 20 de julho, no qual foram dispostas importantes pautas relacionadas, sobretudo, à insegurança nos postos de saúde, locais de constantes atos de violência contra profissionais e pacientes; e ao reajuste salarial. A paralisação segue até amanhã (19), quando acontecerá mais uma mobilização, a partir das 9 horas, em frente à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 

 

Leia mais: Médicos e demais profissionais da saúde da Atenção Básica decidem realizar novas paralisações nos dias 18 e 19 de setembro

Reunião do movimento unificado entre a categoria médica e profissionais não médicos da Atenção Básica define estratégias para novas paralisações

Médicos da Atenção Básica de Fortaleza paralisam atividades nos postos de saúde e realizam ato de protesto

O movimento, liderado pela categoria médica, conta com todos os profissionais da saúde e conta com a representação do Sindicato dos Médicos do Ceará, do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (SINDIFORT), do Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Ceará (SENECE) e do Sindicato dos Odontologistas do Ceará (SINDIODONTO). O primeiro ato aconteceu no último dia 03 de setembro, em frente ao Paço Municipal, contudo, mais uma vez o Município se manteve inerte.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, Dr. Edmar Fernandes, destaca que o principal objetivo dessa união entre as categorias que atuam nos mais de 100 postos de Fortaleza é a grave falta de segurança nas unidades de saúde, agravada ainda mais quando a Prefeitura retirou equipes de segurança dos postos, deixando profissionais e pacientes ainda mais vulneráveis. “É muito importante ressaltar que o Sindicato dos Médicos não deseja promover paralisações e greve, o nosso interesse é trabalhar, salvar vidas, ajudar as pessoas, mas nós não estamos conseguindo fazer isso devido à falta de segurança nos postos de saúde, locais que deveriam ser extremamente seguros para a população”, relata.

Na oportunidade, o presidente do Sindicato, junto aos representantes das demais categorias, reuniu-se com uma comissão de vereadores para a apresentação das reivindicações e a viabilidade de uma nova reunião com a Prefeitura.

Saúde precisa de segurança

A importante mobilização ganha força à medida que a Prefeitura não apresenta proposta sobre a pauta de reivindicações da categoria, a despeito das inúmeras tentativas de negociação dos profissionais com a gestão, via atuação do Sindicato, por meio do diálogo propositivo, mobilizações e ações da Campanha Saúde Precisa de Segurança, cujo objetivo é alertar as autoridades e a sociedade sobre a insegurança de pacientes e médicos no exercício da profissão. Inclusive, ciente da gravidade da situação, o Sindicato solicitou, em julho de 2017, à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS), a inclusão de unidades de saúde – com recorrentes casos de violência registrados – no Programa “Ceará Pacífico”.

Tais paralisações são perfeitamente amparadas em Lei, sendo legítimo exercício do direito reivindicatório classista, para melhores condições de trabalho.

Serviço
Mobilização da categoria médica e demais profissionais da saúde da Atenção Básica
Data: 19 de setembro (quarta-feira)
Horário: a partir das 9 horas
Local: Secretaria Municipal de Saúde (SMS) – (Rua do Rosário, 283 – Centro)

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

logo---sindmed-2018---branco.png

Receba nossos Boletins

Não enviamos Spams!