Sindicato em

Notícias

Notícias

Em defesa de uma remuneração justa para a categoria médica e da melhoria contínua da Saúde, o Sindicato dos Médicos do Ceará oficiou, nesta quarta-feira (22), a Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza (SMS) e a Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão do Município de Fortaleza (SEPOG) requerendo que sejam revisadas e reformuladas legalmente, respeitando o Piso Salarial Nacional da Federação Nacional dos Médicos, as remunerações previstas no Anexo I, do Edital nº 78/2018, o qual dispõe sobre a seleção de candidatos ao provimento de cargo efetivo de médico para atuação na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS).

Leia mais: Sindicato Assegura Compromisso Da Prefeitura Com Concurso Público, Pagamento De Gratificações, Participação Em Nova Negociação Para Reajuste E Reposição Salarial, Reformas E Segurança Em Unidades De Saúde

Sindicato ingressa com pedido para atuar como Amicus Curiae em processo que visa garantir a realização de concurso público para a Saúde

Tendo em vista a enorme disparidade quanto à remuneração ofertada, fica evidente que os vencimentos base propostos no Edital estão muito aquém do valor pago para as especialidades médicas (Clínico e Psiquiatra) objetos do concurso, sendo necessária uma alteração urgente no documento que atenda às necessidades da categoria.

Segundo o presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes, a entidade, enquanto representante dos interesses gerais da categoria médica, posiciona-se completamente favorável à realização do concurso público por compreender a importância do certame no atendimento às carências da Saúde Pública e na carreira do profissional, mas considera: “Enquanto representantes da categoria médica, nos solidarizamos com a causa e deixamos claro que somos a favor de concurso público, inclusive, é um dos principais pontos da nossa pauta de reivindicações. Porém, exigimos que os editais estejam de acordo com os referenciais legais da categoria, considerando uma remuneração minimamente digna aos médicos”.

O Sindicato oficiou ainda a Sociedade Cearense de Psiquiatria (SOCEP), o Núcleo de Psiquiatria do Estado do Ceará (NUPEC) e a Cooperativa dos Psiquiatras do Estado do Ceará (COOPEC) a fim de solicitar o posicionamento das entidades quanto ao assunto e, assim, efetivar as medidas judiciais cabíveis com o objetivo de regulamentar os vencimentos em questão.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará  

 

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará alerta todos os profissionais aposentados, especialmente, os relacionados ao serviço público, para que confiram, periodicamente, os valores de suas aposentadorias, tendo em vista que a entidade está recebendo com bastante frequência denúncias de casos de redução brusca dos proventos, bem como da retirada, sem prévia comunicação, de gratificações recebidas há mais de cinco anos, impossibilitando o exercício do direito ao contraditório e à ampla defesa no âmbito administrativo.

Leia mais: Jurídico em Ação: médicos comemoram vitórias em ações jurídicas protocoladas via Sindicato

Jurídico em Ação: Sindicato ganha liminar na Justiça em favor de médicos associado


Os médicos aposentados que, por ventura, detectarem o problema devem procurar imediatamente o Sindicato, munidos de contracheque que comprove a redução dos valores e de documentos pessoais (RG, CPF e comprovante de residência). Os profissionais ligados ao Regime Geral de Previdência do Instituto Nacional do Seguro Social também devem proceder da mesma maneira.

Ao ter ciência do caso, a Assessoria Jurídica do Sindicato analisará os motivos da redução e, caso seja constatada a ilegalidade ou a não obediência às formalidades legais adequadas, encaminhará aos procedimentos cabíveis: solicitação administrativa para a devida correção ou ingresso de ação judicial para o imediato restabelecimento do que foi suprimido e reduzido.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

Em continuidade às articulações em prol da Atenção Básica de Fortaleza, o presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, Dr. Edmar Fernandes, e o médico Dr. Leonel de Lima Júnior participaram, na tarde dessa quinta-feira (16), de reunião com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) – o coordenador da Atenção Primária de Saúde do Município, Rui de Gouveia, e a representante da coordenadoria de Políticas e Organização das Redes de Atenção à Saúde, Ana Maria Cavalcante – para tratar das demandas dos médicos. Na oportunidade, foram reapresentadas as principais reivindicações da categoria, sobretudo, a preocupante situação da insegurança nas unidades, e foi deliberada uma nova reunião, agendada para a próxima quinta-feira (23), na sede do Sindicato – em horário a ser definido –, ocasião em que os representantes da Prefeitura devem apresentar as propostas de solução ao que foi debatido.

Leia mais: Sem respostas da Prefeitura, médicos da Atenção Básica de Fortaleza decidem paralisar atividades

Médicos da Atenção Básica de Fortaleza são convocados para AGE sobre pautas enviadas à Prefeitura

Em Assembleia, médicos da Atenção Básica de Fortaleza decidem elaborar pauta de reivindicações à Prefeitura

Dr. Edmar Fernandes ressalta que, por consequência da morosidade da Prefeitura em se manifestar e propor soluções para as questões apresentadas, a categoria decidiu, por intermédio da atuação do Sindicato, manter as mobilizações em torno das reivindicações pautadas, inclusive a paralisação prevista para o dia 03 de setembro. “Por diversas vezes, em reuniões na SMS, nós do Sindicato e a categoria médica deixamos claro não sermos a favor de paralisações, porém, optamos pelo ato como última alternativa, diante do descaso da gestão com a segurança dos profissionais e pacientes e outras pautas apresentadas”, enfatiza.

A nova paralisação do próximo dia 03 de setembro foi deliberada na última assembleia com os médicos da rede primária, realizada no dia 02 de agosto, na sede do Sindicato. Durante a paralisação, a categoria seguirá as previsões legais, mantendo 30% dos profissionais médicos em atividade, desde que a Prefeitura retorne, imediatamente, com a disponibilidade de equipes especializadas e devidamente disponibilizadas por empresas de segurança.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará, por meio de sua Assessoria Jurídica, notificou, nesta quinta-feira (16), a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), o Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) e a Direção da Divisão Médica do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), solicitando esclarecimentos e providências sobre a decisão de restringir, em caráter temporário, os atendimentos a pacientes de busca espontânea, com exceção de pacientes classificados como vermelho no protocolo de Manchester – considerados gravíssimos, com necessidade de atendimento imediato e rico de morte. A entidade sindical é a primeira a se manifestar sobre essa grave situação no HGF, considerado o maior hospital público da rede estadual e centro de referência para o Norte e Nordeste no tocante à assistência de alta complexidade.

Leia mais: Mais De 150 Pacientes Nos Corredores Do HGF No Último Dia De Fevereiro

Caos Na Saúde: Superlotação, Suspensão De Atendimento E Insegurança Em Hospital Fazem Mais Uma Vítima

Sem leitos suficientes, Hospital de Messejana tem atendimento à população prejudicado

A notificação do Sindicato acontece depois de a entidade tomar ciência do Memorando nº 30/2018 encaminhado, no último dia 7 de agosto, pela Coordenação Geral do Serviço de Emergência do HGF à Direção da Divisão Médica do hospital, no qual está descrito a superlotação na unidade de saúde: “considerando a superlotação da emergência nos últimos dias; considerando que estamos trabalhando muito além da nossa capacidade; considerando que hoje [dia 7 de agosto] temos cerca de 167 pacientes na observação 1(corredor) (...) solicito que seja restrito o atendimento da emergência exclusivamente a pacientes vermelho de demanda espontânea”.

Ainda segundo o documento, estão alocados 5 pacientes na sala de parada, 8 na estabilização; e 16 na observação III, locais onde deveriam estar apenas pessoas em estado crítico: “Considerando que além dos locais acima [citados], estamos com pacientes extras na pequena cirurgia, onde não deve ficar nenhum, pois é local apenas de procedimento; contando todos os leitos cadastrados e os não cadastrados da emergência, temos cerca de 274 pacientes; considerando que, com esta quantidade de pacientes o atendimento com a qualidade desejada fica prejudicado, podendo acarretar em sérios eventos adversos”, destaca o memorando ao justificar a medida de restrição.

“Diante do caos exposto, pedimos esclarecimentos sobre essa grave situação, a fim de que esta seja resolvida o quanto antes, tendo em vista a importância do pleno funcionamento do Hospital, que tem o dever de atender a demanda da população, sem restrições, assim como garantir aos profissionais de saúde uma boa estrutura para um atendimento digno e com qualidade”, enfatiza o presidente do Sindicato dos Médicos, Dr. Edmar Fernandes.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Previous Next
Notícias

O médico Cristiano Jorge Pinheiro, segundo lugar na Campanha Sindicato na Copa, recebeu sua premiação, na tarde dessa terça-feira (14), na sede da Locker Blindagens, empresa parceira do Sindicato dos Médicos do Ceará na realização da ação. O vencedor ganhou um jantar no Restaurante Cabaña del Primo, com acompanhante, e um Corolla blindado à disposição por 7 dias.

Leia mais: Campanha Sindicato na Copa: sorteio define ganhadores

Campanha Sindicato na Copa: 3º lugar recebe premiação - 7 dias em Corolla blindado + Sessão VIP de Cinema 

Na ocasião, Dr. Cristiano Jorge ressaltou a iniciativa do Sindicato de sensibilizar e envolver os médicos associados. O presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes, presente na entrega da premiação, lembrou que a entidade está cada vez mais atenta para a importância de gerar engajamento entre os seus associados por meio da realização de Campanhas. “Acreditamos que essas iniciativas são excelentes oportunidades para que a categoria fortaleça o vínculo com o Sindicato e, consequentemente, conheça as ações e os serviços realizados em benefícios dos profissionais”, enfatiza.

No último dia 06 de agosto, foi a vez do vencedor em terceiro lugar na Campanha, Dr. Guthierrez Victor Abreu Bezerra, receber a sua premiação – sessão de cinema, com acompanhante, na Sala Vip de Cinemas do Shopping RioMar Fortaleza + 7 (sete) dias com Corolla blindado. Na oportunidade, ele agradeceu ao Sindicato e convidou todos os associados a fazerem parte das próximas campanhas da entidade.

Sindicato na Copa
Para participar da Campanha, os associados adimplentes acessaram o site do Sindicato e deram palpites das seleções que seriam 1º, 2º e 3º lugar do Mundial. Contudo, como futebol é repleto de surpresas, ninguém acertou o resultado e, seguindo o regulamento, foi promovido um sorteio com todos os participantes.

Os três sortudos foram: Dr. Rômulo César Costa Barbosa (1º lugar), Dr. Cristiano Jorge Pinheiro de Mendonça (2º lugar) e Dr. Guthierrez Victor Abreu Bezerra (3º lugar).

Os vencedores da Campanha poderão usufruir os seguintes prêmios: 1º lugar – fim de semana, com acompanhante, no Carmel Cumbuco Resort + 7 (sete) dias com Corolla blindado; 2º lugar – jantar no Restaurante Cabaña del Primo, com acompanhante + 7 (sete) dias com Corolla blindado; 3º lugar – sessão de cinema, com acompanhante, na Sala Vip de Cinemas do Shopping RioMar Fortaleza + 7 (sete) dias com Corolla blindado.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

 

O Sindicado dos Médicos do Ceará manifesta profundo pesar pelo falecimento, nessa quarta-feira (15), do médico Cirurgião Pediátrico, Dr. Jussier Figueiredo Filho. Expressamos sentimentos de vivas condolências e solidariedade aos familiares, amigos e admiradores que o estimaram e partilham a dor pela sua partida. O velório acontece, nesta quinta-feira (16), até às 22h, no complexo Ethernus (Rua Padre Valdevino, n° 1688 - Aldeota). O culto de corpo presente ocorrerá às 19h, no mesmo local.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará segue firme em oposição à Lei Complementar nº 241/2017 (Lei dos Alvarás). Esta semana, a entidade esteve presente – através de seus representantes – em diversos atos em prol da revogação da referida legislação, por entender o caráter prejudicial da medida à categoria médica e à sociedade, tendo em vista as graves alterações provocadas, pela norma, no Código Tributário de Fortaleza. Na próxima segunda-feira (13), o assunto volta à pauta em Audiência Pública marcada para as 19h, no anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Centro da Capital.

Leia mais: Sindicato impetra nova ADIN contra Lei dos Alvarás

Revogação da Lei dos Alvarás: Sindicato participa de audiência na CMF

Nesse sábado (11), às 9 horas, a Praça do Ferreira, também no Centro de Fortaleza, será palco de mais uma atividade do movimento contrário à nova lei. Trata-se de uma panfletagem com o objetivo de esclarecer à população sobre as graves consequências ocasionadas pela aprovação da matéria.

Ações

Na última quarta-feira (6), o Sindicato participou de reuniões com representantes e interlocutores da Prefeitura de Fortaleza, realizadas em dois momentos distintos – pela manhã, na Câmara Municipal e, à noite, em escritório particular –, a fim de apresentar uma nova proposta de Projeto de Lei sobre o tema. Contudo, esta foi rejeitada e a gestão municipal voltou a dar demonstrações de que não está aberta ao diálogo para debater a questão.

A nova proposta de Projeto de Lei foi consolidada durante Audiência Pública realizada na noite da última segunda-feira (6), no anfiteatro da Faculdade de Direito da UFC. Dentre as principais mudanças elencadas, está a criação de um documento único abrangendo Alvará de Funcionamento, Registro Sanitário, Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), Licença Ambiental, Engenhos de Propaganda e Publicidade, Certificado de Inspeção Predial, Licença de Utilização Sonora e Certificado de Conformidade do Corpo de Bombeiros. Outra sugestão é que sejam promovidas fiscalizações educativas e inciativas que favoreçam a formalidade dos negócios na Capital.

Revoga Já!

O assunto mobiliza a sociedade civil e entidades – como o Sindicato dos Médicos do Ceará –, que estão preocupadas com as consequências das decisões tomadas pela Prefeitura de Fortaleza. O posicionamento do Sindicato está baseado, principalmente, em duas questões: primeiro, a legislação em vigor traz tributação abusiva; segundo, os contribuintes estão sendo obrigados a solicitar novas licenças e alvarás, tendo em vista a revogação daqueles emitidos há um ano, representando impactos negativos na economia e no desenvolvimento social da cidade.

Inclusive, o Sindicato dos Médicos foi a primeira entidade sindical a ingressar com Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN), perante o Tribunal de Justiça do Estado, em face das alterações no Código Tributário Municipal (LC 159/2013), promovidas pela Lei Complementar nº 241/2017. No último mês, a entidade ingressou com nova ADIN (Processo n° 0626562-28.2018.8.06.0000) e acompanha tramitação e julgamento da ação pelo Poder Judiciário.

Aos interessados em fazer parte do movimento pela revogação da Lei dos Alvarás, basta acessar o site e preencher o cadastro.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará, através da sua Diretoria, parabeniza os membros da ‘Chapa 1 - Renovação com Experiência’, eleitos Conselheiros – Titulares e Suplentes – para a gestão 2018-2023 do Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará (CREMEC), desejando-lhes sucesso na importante missão vindoura.

As congratulações ainda são extensivas à participação dos integrantes da ‘Chapa 2 - Mudança com Saúde’, que democraticamente também concorreram ao pleito, e aos mais de 7.500 médicos que, por meio do voto, deram a sua importante contribuição.

Por entender a relevância de uma efetiva participação e união de todos os médicos nas causas de interesse da Saúde, o Sindicato reitera seu compromisso de atuação em parceria com as entidades representativas da categoria no Estado, alinhada aos principais anseios da sociedade, valorização, promoção e defesa da atividade médica, bem como dignidade de profissionais e pacientes.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará (foto: http://anuariodasaudedoceara.com.br)


 

 

Notícias

Carlos Alberto Soares de Araújo, 45 anos, paciente acometido por uma disfunção no ventrículo esquerdo, que provoca sérias crises de cansaço e inchaço nas pernas. Com esse quadro clínico, ele procurou, na tarde da última sexta-feira (3), atendimento no Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (Hospital de Messejana). No entanto, conforme relato do próprio paciente, mesmo com indicativo de internação, o médico precisou limitar-se à prescrição de medicamentos e encaminhamento do caso à outra unidade de saúde.

Leia mais: Jurídico em Ação: Sindicato notifica entidades sobre suspensão de atendimentos na emergência do Hospital de Messejana

No Hospital De Messejana, Cirurgia Cardíaca É Realizada Em Meio A Fungos E Lagartixa

Corredômetro: cerca de 340 pacientes estão nos corredores de apenas cinco hospitais de Fortaleza neste fim de férias

Muita gente estava chegando e sendo encaminhada para as UPAS [Unidades de Pronto Atendimento]. Segundo o médico que me atendeu, as ordens diziam que era para receber apenas pessoas muito graves, que estavam quase morrendo, por conta da superlotação. Os comentários que escutamos nos corredores era que os atendimentos ficariam suspensos por 48 horas. Tanto, que o médico pediu para eu tomar a medicação e voltar às 13 horas do sábado [dia 4], quando tudo ficaria normalizado”, relata o Sr. Carlos Alberto, que agora terá que dispor de atendimento médico particular, porque ainda não conseguiu abertura de prontuário no Hospital de Messejana, considerado referência do Estado no tratamento de pacientes acometidas de doenças cardiovasculares e pulmonares.

O relato acima se contrapõe ao conteúdo do Ofício nº 263/2018, enviado pela direção do hospital ao Sindicato dos Médicos do Ceará, na última segunda-feira (6). O documento, em resposta à notificação da entidade sindical sobre o Memorando nº 70/2018, informa: “apesar da superlotação e todas as dificuldades enfrentadas, não concretizamos o fechamento da Unidade de Emergência deste Hospital, conforme noticiado. O que, de fato, ocorreu foi uma otimização da triagem médica, no período das 19:00 às 23:00 horas, do dia 02/08/2018 (quinta-feira), com a orientação aos pacientes fora de perfil e de baixa complexidade a procurarem demais serviços de emergência do sistema”.

Apesar da negativa, há relatos, como o do Sr. Carlos Alberto, de pacientes que buscaram a unidade de saúde e não conseguiram a internação, mesmo sob recomendação médica.

“Vamos continuar acompanhando a preocupante situação do Hospital de Messejana. Toda unidade de saúde deve funcionar adequadamente e, assim, garantir que o paciente seja atendido com dignidade e os médicos tenham condições apropriadas para exercer o seu trabalho”, destaca o presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes.

Corredômetro
Ainda na resposta enviada ao Sindicato, a Direção do Hospital de Messejana informa que “a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) agilizou o funcionamento de mais 24 novos leitos, junto à empresa responsável pela estruturação física do Posto IV, da Unidade de Emergência, minimizando os efeitos da superlotação”. 

Contudo, a carência permanece. Nesta quinta-feira (9), o Corredômetro revela 58 pacientes sem leitos adequados, ‘alocados’ nos corredores do hospital.

Para entender o caso
Na última sexta-feira (3), o Sindicato dos Médicos do Ceará notificou a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), o Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) e a Direção do Hospital de Messejana solicitando esclarecimentos e providências sobre a decisão de suspender, no período das 13h de quinta-feira (2) até às 13h de sábado (4), os atendimentos a pacientes de busca espontânea, com exceção dos casos de infarto agudo do miocárdio com supra, bloqueio atrioventricular total sintomático ou risco imediato de morte.

A notificação ocorreu depois de a entidade tomar ciência do Memorando nº 70/2018 encaminhado pela Direção Geral à Chefia da Unidade de Emergência do hospital. Segundo o documento, a medida tinha o objetivo de proteger os pacientes internados e os profissionais de saúde que atuam no referido setor, “em função da total incapacidade de atendimento da demanda explosiva da Emergência, caracterizada pela inexistência de sequer um leito vago e após aquiescência do Sr. Secretário Estadual de Saúde, Dr. Henrique Javi”.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Previous Next
Notícias

O Sindicato dos Médicos do Ceará, em parceria com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT-CE), iniciou, nesta quarta-feira (8), através de publicação no jornal Diário do Nordeste (1º Caderno - página 9), a divulgação de peças publicitárias da Campanha “Sem diálogo, todos perdem. Sofre o médico, sofre o paciente”, que visa informar a sociedade sobre os desafios enfrentados pelos profissionais da Saúde na prestação de serviços através dos planos que integram a União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (UNIDAS), entidade que representa 22 convênios no Estado.
 
Desde novembro de 2017, a SBOT-CE, em parceria com o Sindicato, busca a atualização dos valores dos honorários médicos junto a UNIDAS. No entanto, a falta de diálogo com a instituição levou os especialistas a deliberarem, em Assembleia, pela paralisação de procedimentos cirúrgicos que se tornaram inviáveis devido à falta de revisão de seus custos. As cirurgias de próteses das articulações (artroplastia primária) do quadril e do joelho são as mais afetadas.
 
O presidente do Sindicato, Dr. Edmar Fernandes, ressalta que a atuação dos profissionais é prejudicada devido à falta de valorização da UNIDAS e, consequentemente, os pacientes sofrem com a ausência de atendimento adequado, mesmo pagando um valor alto por isso. “Após diversas tentativas de acordo, sem sucesso, a categoria se viu sem saída e decidiu paralisar as atividades, tendo em vista não ser mais possível exercer um trabalho de excelência diante deste cenário”, relata.
 
Para o presidente da SBOT-CE e diretor do Sindicato, Dr. Tiago de Morais Gomes, a falta de diálogo entre a UNIDAS e a categoria traz impactos negativos aos profissionais e à população. Aproximadamente, 1,2 milhão de beneficiários dos planos de saúde no Ceará são prejudicados, já que veem seus contratos serem reajustados anualmente e não podem contar com a realização dos procedimentos. 
 
"Enquanto os beneficiários dos planos precisam pagar o reajuste das mensalidades todo ano, os ortopedistas estão sem revisão. Os valores defasados tornam alguns procedimentos inviáveis e o médico acaba tendo que pagar para trabalhar. Por isso, alguns atendimentos foram suspensos e a população é atingida", destaca.  
 
A SBOT-CE, com o apoio do Sindicato dos Médicos, repudia veementemente a atitude da UNIDAS, que se define como uma empresa que visa a melhoria da qualidade de vida da população, mas se mostra intransigente nas negociações que objetivam, de forma justa, conceder melhorias aos médicos e aos seus beneficiários.
 
Confira abaixo as entidades que compõem a UNIDAS no Ceará:
 
- Associação Brasileira dos Empregados em Telecomunicações (ABET)
- Autogestão em Saúde (GEAP)
- Banco Central do Brasil (BACEN)
- Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (CASSI)
- Caixa de Assistência dos Funcionários do BNB (CAMED)
- Caixa de Assistência dos Servidores Fazendários Estaduais (CAFAZ)
- Caixa de Assistência e Saúde dos Empregados dos Correios (POSTAL SAÚDE)
- Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da Fundação Nacional de Saúde (CAPESESP)
- Caixa Econômica Federal (SAÚDE CAIXA)
- Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB)
- Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. (EMBRATEL)
- Fundo de Assistência à Saúde dos funcionários do BEC (FAMED)
- Fundação Assistencial dos Servidores do Ministério da Fazenda (ASSEFAZ)
- Fundação CHESF de Assistência e Seguridade Social (FACHESF)
- Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO)
- Petróleo Brasileiro S.A (PETROBRÁS)
- Petrobrás Distribuidora S.A. (PETROBRÁS DISFOR)
- Plano de Assistência à saúde do aposentado da Vale (PASA)
- Programa Adventista de Saúde (PROASA)
- Programa de Saúde e Assistência Social do Ministério Público Federal (PLAN-ASSISTE)
- Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO)
- Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (UNAFISCO SAÚDE)
 
Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará
logo---sindmed-2018---branco.png

Receba nossos Boletins

Não enviamos Spams!